Pedido de Música
Prêmio a Djavan pelo conjunto da obra corrobora força perene da música de compositor requintado e popular

Advertisement

Prêmio a Djavan pelo conjunto da obra corrobora força perene da música de compositor requintado e popular


♪ ANÁLISE – É justo e merecido que a União Brasileira de Compositores (UBC) tenha escolhido Djavan para ser o homenageado da quinta edição do Prêmio do Compositor Brasileiro em cerimônia que será transmitida ao vivo em 7 de outubro pelo canal da instituição no YouTube.

Prêmio UBC – como é mais conhecido – laureia compositores pelo conjunto da obra autoral. E poucos compositores no Brasil têm obra de assinatura tão original e requintada como Djavan.

Cantor, compositor e músico alagoano que entrou em cena na primeira metade da década de 1970, na cidade do Rio de Janeiro (RJ), Djavan é filho temporão da geração da MPB que surgiu ao longo dos anos 1960.

Nada mais justo que se junte a uma lista de contemplados que já inclui os compositores Gilberto Gil (2017), Erasmo Carlos (2018), Milton Nascimento (2019) e Herbert Vianna (2020) – este, por ora, o único homenageado revelado na década de 1980 e sem grandes vínculos com a MPB.

Projetado nacionalmente quando defendeu o samba autoral Fato consumado (1975) no festival Abertura, exibido pela TV Globo em 1975 com a intenção de reviver a era dos festivais, Djavan logo se impôs como compositor pela habilidade em transitar por samba e por gêneros musicais nordestinos com suingue singular que sempre deixou entrever influências do jazz, do blues e dos sons da África.

Pautada por harmonias sofisticadas, a obra de Djavan sempre segue por inusitados caminhos melódicos sem deixar de fazer saltar veia popular que garantiu ao artista um lugar entre os compositores mais cantados do Brasil.



 

Postar um comentário

0 Comentários